Acidente em Mariana: Novos modelos de prevenção

Barragens, Barreiras de Prevenção e Limites da Segurança é título de artigo elaborado por pesquisadores do Conexões de Saberes sobre o Trabalho: Saúde e Segurança na Mineração e do Ceprasst (Centro de Estudos e Práticas em Saúde e Segurança no Trabalho), projetos de pesquisa, ensino e extensão da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). "Nossa intenção é colaborar nas análises, seja dos órgãos fiscalizadores, seja de modo independente, para que a abordagem da segurança integrada ajude a compreender em maior profundidade as causas do acidente em Mariana/MG e tentar difundir novos modelos de prevenção", afirma o engenheiro de Segurança do Trabalho e ergonomista, Francisco Lima, da coordenação do Ceprasst e professor do Departamento de Engenharia de Produção da UFMG. Segundo ele, uma tragédia como essa não pode passar em branco, sem levar as empresas e instituições a repensarem as atuais práticas de prevenção", ressalta. Confira aqui o texto na íntegra.

Lima conta que o Centro de Estudos nasceu dentro do projeto Conexões, que, por sua vez, nasceu com sindicatos do segmento minerador, mas hoje atende também outras categorias no estado, como os eletricitários. "A razão principal é a alta taxa de acidentes de trabalho. Começamos com diagnósticos, mas agora também estamos propondo ideias para resolver os problemas", explica. Uma delas é a de prevenção integrada, ou seja, "não confiar apenas nos técnicos e engenheiros, mas contar também com a experiência dos trabalhadores que estão vivendo as situações dentro de campo". 

PROJETOS 
O projeto Conexões busca construir diálogos e trocas de experiências entre pesquisadores da UFMG e outras universidades brasileiras interessados na temática do trabalho em diversos campos científicos, alunos da graduação e pós-graduação e profissionais do mundo do trabalho. Busca o desenvolvimento de ações, como cursos, seminários, oficinas e momentos de estudo e sistematização, integrando a colaboração de todos envolvidos na construção, desenvolvimento e avaliação das atividades e dos produtos a serem confeccionados. Os produtos imediatos consistem em diagnósticos setoriais das condições de qualificação e emprego que servem de base para elaborar um plano de ação. 
Por sua vez, o Ceprasst tem como um dos principais objetivos desenvolver metodologias baseadas no reconhecimento do trabalho como um dos determinantes do processo saúde/doença e da experiência dos trabalhadores como fonte de recursos (conhecimentos, competências e práticas) para melhorar os sistemas de Saúde e Segurança do Trabalho. Outra meta é desenvolver teorias e modelos analíticos reunindo disciplinas diversas, como psicologia, engenharia, ergonomia, ergologia, de modo a fazer avançar a reflexão crítica sobre os limites dos programas de SST e das teorias que os fundamentam e propor modelos explicativos alternativos. 
As instituições parceiras nos projetos de extensão da UFMG são Fundacentro, UFSJ (Universidade Federal de São João Del-Rei), Unifei (Universidade Federal de Itajubá), Escola Sindical 7 de Outubro e UFES (Universidade Federal do Espírito Santo). 
Data: 23/11/2015 / Fonte: Redação Revista Proteção

 
UOL Web Hosting | TST Service - Trabalho, Segurança e Treinamentos - (74) 3622-2011 TST Service | 2010 Acesse já www.tstservice.com.br