Dono de fábrica é preso após morte de funcionário em incêndio





O proprietário de uma fábrica portuguesa, em Alhos Verdes, foi condenado a cinco anos de prisão após incêndio que matou um dos trabalhadores. O incidente ocorreu em 2011, mas só recentemente a justiça do país reabriu o caso, condenando o responsável pela empresa. Além da prisão, o empresário terá de pagar uma indenização de 70 mil euros para a família do ex- operário.
Funcionários relataram que a empresa era clandestina e lidava com produtos químicos e inflamáveis. Vários deles declararam que já haviam comunicado ao dono sobre as condições precárias de trabalho, porém, ele nunca considerava as reivindicações.
Segundo a ACT (autoridade portuguesa para condições de trabalho), a fábrica tinha licença de funcionamento, mas não para o manuseio de produtos perigosos em grandes quantidades.
Depois do processo ser reaberto, o Ministério Público acusou o proprietário por homicídio culposo, crime cuja pena máxima é de cinco anos. Não somente para o portugueses, mas para o ramo industrial, a condenação desse empresário foi algo inédito. Ninguém acreditou que o responsável seria punido com uma pena de cadeia efetiva, uma vez que o dono da companhia não tinha antecedentes criminais.

 
UOL Web Hosting | TST Service - Trabalho, Segurança e Treinamentos - (74) 3622-2011 TST Service | 2010 Acesse já www.tstservice.com.br